<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1047100852003296&ev=PageView&noscript=1" />
O que vale mais, a experiência ou a habilidade de aprendizado?

Experiência não basta! É preciso ter algo a mais. Inteligência emocional, capacidade de trabalho em equipe e interesse em aprimoramento constante são primordiais para o sucesso profissional.

Há colaboradores com sólida experiência profissional que se veem em frente a um comunicado de demissão. Este tipo de exemplo nos mostra que só a experiência não basta. Jovens extremamente competentes em conhecimentos, habilidades e atitudes estão sendo cada vez mais priorizados no mercado de trabalho. 

A experiência profissional é uma grande vantagem competitiva no mercado de trabalho, mas não é a principal. É preciso ter algo mais. Atualmente as empresas valorizam mais a inteligência emocional, a capacidade de trabalho em equipe e o interesse em aprimoramento constante. Esses três pontos, característicos das novas gerações, são primordiais para o sucesso profissional.  

Muitos profissionais, depois de alcançarem uma certa posição acabam caindo no comodismo e desmotivação. Essas características e a prepotência de achar que sabe tudo são impeditivos absolutos para quem deseja fazer carreira. “Ninguém sabe tudo e o que você sabe hoje pode ficar obsoleto amanhã“ adverte Ricardo Karpat, diretor da Gábor RH e colunista do site da Catho. 

Para se manter competitivo no mercado de trabalho e pontuar na hora de ser selecionado para uma vaga, o profissional mais experiente deve estar antenado em tudo o que acontece na sua área, por meio de cursos, palestras e artigos. Manter a automotivação e criar novos desafios constantemente também são aspectos cruciais. 

Já um profissional menos experiente pode pontuar focando mais no lado comportamental e em sua qualificação acadêmica, ressaltando a motivação e a habilidade rápida de aprendizado. 

Em épocas de mudanças constantes no mercado de trabalho, as características comportamentais são cada vez mais valorizadas. Para Karpat é importante ter foco na qualificação comportamental através de coaching e leitura. 

Atualmente, o profissional não precisa esperar indícios de necessidade de atualização, pois elas são constantes. “O Profissional deve estar satisfeito com seu passado e insatisfeito com seu presente, agindo constantemente para construir um  futuro melhor. Se tiver esta ideologia, manter-se-á competitivo sempre“, finaliza Karpat. 

Espero que vocês tenham gostado do artigo! Sugestões e comentários são bem-vindos! Se você quiser escrever um post, mande sua sugestão pra gente: gastbeitrag@alugha.com.

Wilgen e o time da alugha!

#alugha

#doitmultiligual

#RicardoKarpat