<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1047100852003296&ev=PageView&noscript=1" />
Startups se beneficiam com a imigração de estrangeiros

Para continuar crescendo e permanecer competitivas no mercado, as startups alemãs precisam de especialistas qualificados de TI vindos do exterior. No entanto, uma em cada três empresas têm dificuldades em recrutar funcionários estrangeiros, devido principalmente a burocracia.

A Alemanha é um país atraente tanto para empreendedores como trabalhadores. As startups têm impulsionado a criação de empregos na economia alemã. O Monitor de Startups Alemãs (DSM) deste ano, apontou que as startups participantes ocupam 19.913 trabalhadores, uma média de 11 funcionários por companhia.

O ecossistema de startup alemão precisa de especialistas de TI bem qualificados para continuar crescendo e para permanecer competitivo. Dois terços das startups (63,9%) concordam que o setor alemão de startups está se beneficiando com a imigração de pessoas do exterior. No total, 28,6% dos funcionários das startups não têm cidadania alemã, em Berlim o número chega a 47,7%.

Desafio de novas contratações

As startups não só geram novos empregos, como planejam novos recrutamentos constantemente. No entanto, um terço destas empresas tem dificuldades em admitir funcionários estrangeiros devido aos obstáculos burocráticos.

Os desafios específicos enfrentados pelos fundadores no recrutamento de funcionários estrangeiros ficam em 58,4% dos casos particularmente por conta da burocracia antecipada (como por exemplo, o visto). Além disso, a metade respondeu que os obstáculos burocráticos após o recrutamento (48.4%) e as barreiras linguísticas (48,2%) são tarefas desafiadoras. 

A falta de compatibilidade das qualificações internacionais é vista em 18,8% dos casos como uma dificuldade, as diferenças culturais são vistas em 15,7% dos casos como obstáculos, 13,6% responderam que a localização da sua empresa não seria atrativa para funcionários estrangeiros e apenas 10,8% indicaram a falta de uma cultura de boas-vindas como motivo de dificuldades na contratação de funcionários internacionais.

„… Uma cultura de boas vindas, para facilitar a entrada de mão de obra estrangeira e uma lei de imigração orientada para as necessidades da Alemanha é indispensável. 

Especialmente em tempos de Brexit e de protecionismo, devemos abrir as portas para receber talentos de todo o mundo! ", defende Florian Nöll, presidente da Associação de Startups Alemãs.

#alugha

#doitmultilingual 

#DeutscheStartupMonitor